sexta-feira, 21 de julho de 2017

Sopa de beldroegas - mais uma viagem à infância



Pois é, mais um sabor que me leva até à minha infância.
Foi uma infância feliz e para além dos meus pais, tive sempre a minha avó materna por perto.
Adorava estar com ela!
Para além, de que a minha avó é a melhor cozinheira do mundo.
Sou suspeita, porque como já referi em outros posts, amo-a muito.
As beldroegas sempre foram umas ervas daninhas que apareciam lá pela quinta da minha avó, e continuam a aparecer.
E recordo-me de comer a sopa da avó feita com esta erva, desde a mais tenra idade.
Sempre gostei, também não havia espaço para muitas esquisitices, até porque o que ia para a mesa, era para todos.
Fica deliciosa esta sopa.

Ingredientes:

1 Molho de beldroegas (depois de arranjadas dá 200g)
Azeite
1 Cebola picada
4 Dentes de alho picados
1 Folha de louro
2 Tomates maduros cortados em pedaços
1 C. Chá de orégãos
3 batatas cortadas às rodelas
600 ml de água
2 Queijos curados de vaca e cabra
Ovos
Sal

- Retirar as folhas dos talos das ervas. Lavar muito bem e deixar a escorrer num passador de rede fininha.

- Num tacho largo, introduzir a cebola, os alhos e a folha de louro. Regar com azeite.

- Levar ao lume e deixar a cebola murchar.

- Acrescentar as folhas de beldroegas, e deixá-las amolecer.

- Adicionar o tomate e os orégãos e envolver na mistura.

- Acrescentar as batatas e a água.

- Temperar com sal.

- Quando as batatas estiverem quase cozidas, adicionar o queijo cortado em fatias finas.

- Se acharem que tem pouco caldo, podem acrescentar um pouco mais de água. Rectificando o sal, se necessário.

- Ao verificarem que as batatas estão cozinhadas, basta desligar o lume.

- Os ovos serão para serem escalfados.

- Faço de duas maneiras. Antes de desligar o lume, adiciono os ovos por cima e deixo escalfar. Ou então, coloco taças individuais com água e uma colher de sopa de vinagre e levo ao microondas até ferver. Depois adiciono um ovo por cada taça.

- Esteticamente, acho que ficam melhor, quando são feitos no microondas. Mas é mais prático adicionar tudo no tacho. E os ovos ficam mais saborosos.




quinta-feira, 20 de julho de 2017

Costeletas grelhadas com cebola e cogumelos


Há já algum tempo que faço a ementa semanal.
É um método, ao qual me adaptei muito facilmente e que resulta comigo.
Não preciso de pensar todos os dias o que cozinhar.
No entanto, há dias que tenho escrito uma determinada refeição, mas por falta de tempo ou por outro motivo qualquer, não me é possível fazer essa comida.
Foi o que aconteceu com estas costeletas.
Inicialmente, eram para ser no forno com legumes.
Mas rapidamente, passaram a grelhadas na chapa.
E acrescentei um "molho" de cebola e cogumelos, que resultou na perfeição.
Costumo comprar cogumelos frescos e depois congelo. 
São muito mais saborosos.
Utilizo esta dica (desde que partilhou), da Luísa Alexandra, que dispensa apresentações.
A Luísa explica detalhadamente como se faz. Espreitem.

Ingredientes:

4 Costeletas do cachaço
2 Cebolas médias em meias luas
3 Dentes de alho laminados
200g de cogumelos frescos, mas congelados
Azeite
Sal
Pimenta em moinho
1 Folha de louro
1 C. Sopa de molho inglês
50 ml de cerveja branca c/ álcool
Esparguete

- Cozer a quantidade pretendida de esparguete, seguindo as indicações da embalagem. 

- Num frigideira, colocar um fio de azeite, a cebola, o alho e a folha de louro.

- Quando a cebola murchar, adicionar os cogumelos.

- Temperar de sal e pimenta. Utilizo em moinho. Na minha opinião, as especiarias em moinho, são mais frescas, logo o sabor é mais intenso. Mas se for em pó, será cerca de meia colher de café.

- Deixar os cogumelos cozinhar e adicionar o molho inglês.

- Envolver a mistura e acrescentar a cerveja.

- Deixar a cozinhar em lume brando, cerca de 5 minutos.

- Grelhar as costeletas numa chapa de fogão, temperadas apenas com sal.

- Escorrer o esparguete e servir a gosto.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

As ameijoas cá de casa


Mais um petisco, que é muito apreciado cá por casa.
É uma receita bastante simples, faz-se num abrir e fechar de olhos, mas com muito sabor.
Se há algo que gosto de utilizar na comida cá de casa, são as ervas aromáticas.
E os coentros são quase sempre os vencedores.
Têm um perfume maravilhoso e na comida, dá um sabor especial.

Ingredientes:

1 Kg de ameijoa vietnamita congelada
1 Cebola picada
6 Dentes de alho picados
Azeite
1 molho generoso de coentros picados
100 ml de cerveja branca c/ álcool
Sal

- Num tacho, colocar a cebola, o alho e o azeite. Refogar.

- Acrescentar os coentros picados e envolver no refogado. De modo a que estes libertem o seu perfume.

- Adicionar as ameijoas e a cerveja.

- Se quiserem com mais molho, basta acrescentarem mais cerveja. Mas tendo em atenção de que as ameijoas libertam alguma água.

- Temperar com sal.

- Deixar cozinhar em lume médio e ir abanando o tacho de forma a que a cozedura das ameijoas sejam uniformes.

- Desligar a placa.

- Quanto mais tempo ficarem no molho, mais saborosas irão ficar.


Poderão substituir a cerveja por vinho branco, na mesma quantidade. 
Eu prefiro a cerveja, acho que ficam mais saborosas. 
No entanto, cá em casa, gostam das duas formas.
Acho que com vinho, corta mais o sabor dos coentros.





terça-feira, 18 de julho de 2017

Moelas de frango em molho de tomate



É tempo de tomate, muito felizmente.
Chegam cá a casa bem vermelhinhos, vindos das hortas da família e fico logo com vontade de os cozinhar.
Tenho feito imensas comidas com este ingrediente.
Há que lhe dar uso, nesta altura porque é quando é mais saboroso.
É um alimento que me agrada bastante, à excepção de quando é em compota.
Estas moelas foram cozinhadas, para mais um dos nossos lanches ajantarados.
Fica delicioso e com bastante molhinho, que é o que se quer, porque adoramos molhar o pão no molho.

Ingredientes:

1 Kg de moelas de frango
1 Cebola picada
3 Dentes de alho picados
Azeite
1 Folha de louro
3 Tomates médios maduros
1 C. Sopa de orégãos 
100 ml de vinho branco
Pimenta
Sal

- Colocar a cebola, o alho, a folha de louro e um fio de azeite num tacho e levar ao lume.

- Deixar a cebola ficar murcha e acrescentar o tomate e os orégãos.

- Temperar de sal e pimenta.

- Deixar o tomate cozinhar em lume brando, até libertar algum do seu sumo e ficar ligeiramente mole.

- Acrescentar as moelas e o vinho.

- Envolver todos os ingredientes e deixar a cozinhar no mínimo.

- Quando o tomate está completamente desfeito, as moelas cozidas e o molho espesso, rectificar os temperos.

- Se o tomate que utilizarem, não tiver muito sumo, acrescentem mais vinho.

- Deixar cozinhar mais 5 minutos e desligar a placa.

- Podem servir logo, ou podem deixar apurar mais um pouco.

- Fica delicioso com pão alentejano cozido em forno de lenha, como foi o caso neste dia.

- Também fica delicioso com pão frito e/ou torrado.


segunda-feira, 17 de julho de 2017

Camarões cozidos


Eu gosto imenso cozinhar, mas nesta estação, o Verão, apetece-me menos e há dias, então que não me  apetece mesmo nada.
E quando não me apetece fazê-lo, opto por petiscos e coisas bem simples.
Que cá por casa adoramos e em menos de nada, temos uma refeição de petiscos.
Numa dessas refeições, cozi estes camarões.
Há uns anos atrás, era sempre o meu marido que cozinhava estes senhores.
Mas depois aprendi a fazê-los com uma Senhora com a qual trabalhei, que tem idade para ser minha avó, e o meu marido deixou de os fazer, porque diz sempre, que eu é que sei fazê-los.
Não ficam melhores em termos de sabor, acho que ficam apenas diferentes na dureza da carne do camarão.
Mas como cozer camarões pode ser simples para uns mas parecer complicado para outros...decidi partilhar convosco a forma como o faço.

Ingredientes:

1 Kg de camarão de boa qualidade, calibre 20/30
3 L de água
Sal

- Colocar a água com três mãos cheias de sal numa panela.

- Ligar a placa e deixar ferver.

- Quando estou com mais pressa, aqueço a água no jarro de água e depois coloco na panela, adiciono o sal e deixo ferver, demora menos tempo.

- Quando a água estiver a ferver, junta-se os camarões.

- Deixa-se voltar a água a ferver.

- Num recipiente, adiciona-se mais água de preferência que esteja no frigorífico, mais sal, aqui costumo colocar duas mãos e muitas pedras de gelo e misturar tudo.

- Quando os camarões começarem a ferver, conta-se dois minutos e pode-se desligar a placa, que estão cozinhados.

- Escorrer os camarões imediatamente, para parar a cozedura e adicioná-los à água anteriormente preparada.

- Colocar mais gelo e deixar estar os camarões durante algum tempo, cerca de trinta minutos. 

- Confirmar o sabor da água, se acharem que estão salgados, passem-nos por água corrente da torneira.

- Dispor os camarões num prato e/ou travessa de servir.

- Se anteriormente ao provarem a água e estavam com pouco sal, podem no prato de servir, polvilhar com mais sal.

- Se for para consumir mais tarde, podem colocar no frigorífico.

- Se for para consumir dentro de pouco tempo, coloquem no congelador. Refrescam rapidamente.

Depois é só levá-los à mesa e deliciarem-se...

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Arroz de pato à minha maneira


Gosto de arroz de pato, mas não é daqueles pratos que adoro.
Mas os miúdos gostam imenso e é mais por eles que o faço.
Tenho a sorte de poder consumir carne e ovos caseiros, o que torna este prato mais saboroso.
A minha avó ofereceu-me um pato e como não é carne que aprecie muito, resolvi fazer este arroz.

Ingredientes:

1 Pato 
2 Cebola picada
1 Cebola inteira
3 Dentes de alho picados
3 dentes de alho inteiros
Azeite
Bacon aos cubos (150g)
Cravinho em grão
2 Folhas de louro
Sal
Pimenta
100 ml de vinho branco
Arroz vaporizado
2 Ovos M
Rodelas de chouriço

- Numa panela de pressão, coloca-se uma das cebolas picadas, os alhos picados, o bacon, a folha de louro e o azeite.

- Deixar a cebola ficar murcha.

- Colocar o pato cortado em pedaços,

- Espetar os cravinhos na cebola.

- Adicionar os restantes alhos, o vinho e acrescentar água até o pato ficar submerso. 

- Temperar com o sal e a pimenta.

- Fechar com a tampa e introduzir o pipo no seu orifício.

- Quando a panela de pressão começar a apitar, contar 20 min.

- O pato está cozinhado. Se por o vosso ainda não estiver, voltem a colocar mais 10 min..

- Deixar arrefecer o pato, para ser mais fácil desfiá-lo.

- Desfiar o pato.

- Fazer um refogado com a cebola e o azeite.

- Adicionar o arroz (utilizei 300g).

- Deixar refogar um pouco e acrescentar 900g de caldo da cozedura do pato. Se não tiverem, acrescentem água. 

- A meio da cozedura do arroz, acrescentar o pato desfiado.

- Verificar se está a vosso gosto a nível de sal.

- Assim que o arroz esteja cozido, desligar o lume. 

- O objectivo de triplicar a quantidade de água, em vez de duplicar, como é hábito, é mesmo que fique com algum caldo.

- Passar a mistura do arroz com o pato, para um pirex.

- Bater os ovos e com um pincel, espalhar por cima do arroz.

- Colocar o chouriço às rodelas.

- Levar ao forno, pré-aquecido a 180º. Apenas, para tostar por cima.








quinta-feira, 13 de julho de 2017

Azeitonas temperadas


Gosto imenso de azeitonas.
E quando são caseiras, melhor ainda!
Mas para um petisco, gosto de as apresentar de uma forma diferente.
Foi o que aconteceu com estas azeitonas, que hoje vos apresento.
É muito fácil dar uma nova cara, a este ingrediente.


Ingredientes:

Azeitonas (quantidade a gosto)
Coentros picados
Alhos picados
Azeite

- Colocar as azeitonas num recipiente e misturar os coentros, os alhos e temperar com azeite. 
- Envolver tudo e estão prontas.

No entanto, se deixarem mais algum tempo, ficam mais saborosas.