31 julho, 2017

Broa de milho c/ tomate seco, azeitonas e orégãos





Mais um mês passado e tenho ideia de que este passou mesmo a correr.
Parece que foi no dia de ontem que a Marta, partilhou o ingrediente para o mês de Julho, o milho. 
E já estamos a 31 de Julho. 
Enfim, já não falta muito para o Natal e fim do ano, embora sejam datas que eu não goste.
Mas voltando ao milho e ao blog da Marta.
O primeiro desafio em que participei foi neste blog, e com um sabor diferente do habitual cá por casa,  gelado de cereja.
Desta vez, também quis inovar em termos de sabor.
Gostamos imenso de broa e se for com um toque diferente da tradicional, melhor ainda.
Por norma é esta a receita que faço.
Sei que a tirei de um blog, já há imenso tempo, mas como na altura nem sequer imaginava que estaria aqui, não apontei o nome do blog.
Apenas a escrevi, depois de a testar, no meu caderninho de receitas.
E para este desafio, adaptei-a.
Se o proprietário do blog, ou alguém souber a quem pertence esta receita, façam o favor de me informar, para eu colocar o nome do blog. Obrigada.

Ingredientes:

2 Dl de leite magro
30g Manteiga s/ sal derretida
2 Ovos L (utilizei ovos de pata)
2 C. chá de flor de sal
250g Farinha 65
250g Farinha de milho amarela
50g Tomate seco em azeite
50g Azeitonas às rodelas s/ caroço
1 C. chá de orégãos secos
1 Pacote de fermento de padeiro de 11g (utilizei da marca fermipan)


- Cortar os tomates em pedaços pequenos.

- No copo da Yammi 2, colocar por esta ordem, o leite, a manteiga derretida, os ovos,a flor de sal, a farinha 65, a farinha de milho amarela, o tomate seco cortado em pedaços, as azeitonas, os orégãos secos e por fim o fermento de padeiro.

- Seleccionar o programa de amassar.

- Colocar uma folha de papel vegetal num tabuleiro (utilizei o tabuleiro do forno) e polvilhar com farinha de milho.

- Retirar a massa do copo e dar-lhe uma forma arredondada.

- Colocar a massa no tabuleiro.

- Seleccionar a função de levedar do forno e colocar a massa no forno até terminar o programa.

- Se o vosso forno, não tiver esta função, basta pré-aquecerem o forno a 100º e quando colocarem a massa no forno, desligar o mesmo.

- Quando terminar o referido programa, seleccionar a função de cozer pão, a meio do forno. 

- Poderão cozer a broa, a 180º durante 30 min..

- Não deixei o tempo que indica, este programa. Apenas deixei 30 min.. 

- Antes de terminar o programa, sensivelmente, 10 min., elevar o tabuleiro de modo a aproximá-lo mais da resistência em cima. Assim a broa ficará com uma cor mais tostadinha.


Gostámos imenso desta variação de broa.
No entanto, da próxima vez que a fizer, irei aumentar em dobro a quantidade de tomate e azeitonas.













28 julho, 2017

Smiles desastrados


Há receitas que resultam na perfeição em termos de sabor da massa, mas quando desenformadas são uma autêntica decepção. 
Foi o que aconteceu com estes smiles.
Daí teres-lhe chamado desastrados.
Cá por casa, eu e a minha filha gostamos imenso destes bonecos amarelos.
Parece que voltaram a estar na moda e vieram para ficar.
Existem centenas de produtos alusivos a este boneco.
Entre esses produtos, existem umas formas de smile, que achei o máximo, quando as vi.
Talvez a culpa tenha sido minha, mas ao desenformar não ficaram nada parecidos. 
E foi a decepção completa!
Com umas canetas com tinta comestível, tentei reparar a coisa e agradar à minha filha.
Quando viu, ficou maravilhada e disse que estavam muito bonitos.
Como as crianças não mentem (neste caso, quero pensar assim), fiquei felicíssima.
Depois segue a pergunta, já habitual cá por casa: "Vais pôr no blog, não vais?"
E eu fiz-lhe a vontade!


Ingredientes:
(Receita original no livro de queques do Pingo Doce de 2009)

3 Ovos M
1/2 Cháv. de manteiga amolecida s/ sal
1 Cháv. de açúcar branco
1/2 Cháv. de leie magro
1 + 1/2 Cháv. de farinha com fermento
1 C. chá de extrato de baunilha

- Pré-aquecer o forno a 180º.

- Como eram de silicone, apenas passei azeite em spray e espalhei com um pincel.

- Bater os ovos com a manteiga e o açúcar, até obter uma mistura leve e fofa.

- Misturar o leite, a farinha e a baunilha e envolver todos os ingredientes, de modo a que fique cremoso.

- Dividir o preparado pelas formas e levar ao forno.

- Para as formas terem mais estabilidade, coloquei por baixo destas, o tabuleiro do forno.

Esta massa é deliciosa!
Quanto à decoração utilizei os lápis de colorir do Dr. Oetker.
Os castanhos e sem decoração, levaram um banho de chocolate, antes de irem ao forno. 
Barrei a forma toda com chocolate derretido, mas correu mal.







27 julho, 2017

Coelho assado na brasa


Cá por casa, as carnes mais consumidas, são a de frango e a de coelho.
Por gosto e também pela oferta que temos.
Há imenso tempo que não comia coelho grelhado na brasa.
Honestamente, há tanto tempo, que nem me lembro da última vez que comi.
Tinha um coelho cá em casa, a precisar de ser consumido e o apetite não era nenhum para o cozinhar.
Eu detesto calor e cozinhar nesta altura do ano, só se for de manhã e mesmo assim...
Enfim...
Em conversa com o meu marido, falamos em grelhar o dito coelho.
Como nunca tinha feito, pesquisei e encontrei esta receita, da Laranjinha.
Pareceu-me de fácil execução e foi mesmo.
Enquanto o marido tratou da churrasqueira, eu rapidamente fiz uma salada de tomate, pepino e cebola, temperada com orégãos, flor de sal, azeite e vinagre de vinho branco.
Deixo-vos a receita como eu fiz.
Apenas adaptei um ou outro ingrediente.

Ingredientes:

1 Coelho cortado em pedaços
1 Dente de alho picado
1 C. chá de louro em pó
1 C. Chá de pimentão doce fumado
4 C. sopa de azeite
6 C. sopa de vinho branco

- Preparei o molho no dia anterior.

- Juntar todos os ingredientes e misturar. 

- No dia de cozinhar o coelho, temperá-lo com sal.

- Colocar o coelho na grelha e pincelar com o molho à medida que vai assando.


Obrigada Isabel!


26 julho, 2017

Frango c/ ervilhas caseiras


Como uma receita tão simples, faz uma família feliz.
Basta ter oportunidade de comer o melhor que a terra nos dá.
Neste caso em concreto, que as hortas da família têm e partilham connosco.
Felizmente, temos a oportunidade de consumir muitos frutos, legumes, ovos e carne caseiros.
Daqueles que têm um sabor verdadeiro.
E este prato é prova viva disso.
O frango da capoeira dos pais, as folhas de loureiro do quintal dos pais, as ervilhas e os ovos da quinta da avó e a hortelã do meu quintal.
Deliciem-se...

Ingredientes:

1 frango cortado aos pedaços
100g de bacon aos cubos
1 Cebola picada
2 Dentes de alho picados
1 Folha de louro
Azeite
Sal
2 C. Sopa de polpa de tomate
200g de ervilhas
100ml de vinho branco
1 Ramo de hortelã
Ovos a gosto (estes eram de pata)

- Num tacho, colocar a cebola, os dentes de alho, a folha de louro, o azeite e o bacon. Deixar alourar ligeiramente.

- Acrescentar o frango, o vinho e o ramo de hortelã. 

- Temperar com sal.

- Colocar o lume no mínimo, de modo a que cozinhe lentamente.

- Quando o frango estiver quase cozinhado, acrescentar as ervilhas. 

- Rectificar os temperos.

- Quando as ervilhas estiverem cozinhadas, acrescentar a quantidade de ovos, que se pretenda escalfar. Deixar 2/3 minutos e desligar o lume.

- Quando há tempo para isso, deixo apurar um pouco e só depois sirvo.





25 julho, 2017

As bolachas da Marta


Apelidei estas bolachas como as bolachas da Marta, que é a minha filha, porque ela adora estas bolachas.
Honestamente, aprecio-as quando acompanhadas com um café ou chá. 
Eu adoro estas bebidas, isto para não falar em Coca-Cola.
Estas bolachas retirei deste blog, da Márcia.
No entanto, há pormenores que faço diferente.
A minha filha, tem 9 anos, e gosta de comer, mas também gosta de controlar aquilo que come.
Adora fruta, legumes poucos e crus mas depois gosta imenso de bolachas.
Tento desta forma, satisfazer-lhe a vontade mas procurando alternativas mais saudáveis.
Não que eu seja uma entendida na matéria, não o sou de todo.
Mas sou muito curiosa e tento sempre aprender mais.
Embora faço todo o ano, estas bolachas sabem-me a Natal...


Ingredientes:


50g de óleo de cocoderretido
70g de açúcar mascavado 
1/2 C. chá de bicarbonato de sódio
1 C. café de flor de sal
1/2 C. chá de canela em pó
1 C. café de gengibre em pó
3 C. sopa de melaço de cana
1 C sopa de sementes de linhaça moídas
120g de farinha integral (poderão substituir por farinha 55 ou 65)

- Colocar as sementes de linhaça moídas numa tigela com três colheres de sopa de água morna, de forma, a tornar-se uma pasta. Deixar repousar, enquanto prepara a restante receita.

- Pré aquecer o forno a 180º.

- Forrar um tabuleiro com papel vegetal ou utilizar um tapete de silicone.

- Nesta altura, em que há algum ou muito calor, não derreto o óleo de coco, porque este está em estado liquido, ou se não está totalmente, está muito perto disso. No entanto, no inverno, está solidificado, coloco a porção que pretendo e ponho no microondas, são segundos.

- Numa taça, colocar todos os ingredientes, à excepção da farinha e misturar tudo. Nesta fase, utilizo a vara de arames.

- Acrescentar a farinha aos poucos. Torna-se mais fácil de misturar. Aqui, utilizo uma colher de pau, porque a massa fica mais densa.

- Fazer bolinhas com as mãos, é a parte que a minha filha mais gosta, e colocá-las no tabuleiro.

- Espalmar com um garfo, mas não as deixem muito finas, apenas ligeiramente. Para ficarem com algum efeito.

- Levar ao forno, durante 10 min.

- Passado este tempo, retirem as bolachas, mesmo que vos pareça que estão muito moles. É mesmo assim, porque depois de frias, ficam secas e deliciosas.






24 julho, 2017

Salada de tentáculos de pota



Tinha comprado uma embalagem de tentáculos de pota para fazer pataniscas.
Nunca tinha feito e tinha comido umas pataniscas de polvo num restaurante, que tinham mais massa do que polvo.
Pensei cá com os meu botões, vou mas é fazer isto em casa.
Como não sabia se a coisa, iria correr bem, optei por comprar tentáculos de pota já cozidos.
Não gosto de coisas pré preparadas mas sendo verão e com menos tempo para dedicar-me à cozinha, recorri a este preparado.
Mas na altura de preparar, o meu marido falou em fazer uma salada, do género da de polvo.
Aceitei a sugestão de imediato.
Fica igualmente bom.
Fiquei surpreendida pela positiva com os tentáculos de pota cozidos, não tinham praticamente sal nenhum.
Agradou-me porque por norma, este tipo de produtos tem muito sal e temperos. 
Aconselho vivamente, deixo a imagem. 
Tentei colocar o link mas neste momento não consigo aceder ao site, dá-me erro.




Ingredientes:

1 embalagem de tentáculos de pota cozidos
1 Cebola média picada
2 Dentes de alho
1 C. café de flor de sal
Pimenta em moinho ou 1 C. café de pimenta moída
1/2 Pimento verde, cortado em cubos
1/2 Pimento vermelho, cortado em cubos
4 C. Sopa de azeite
4 C. Sopa de vinagre

- Numa taça, colocar os tentáculos, a cebola picada, os dentes de alho picados, o pimento verde em cubos, o pimento vermelho em cubos. 

- Envolver todos os ingredientes.

- Temperar com a flor de sal, a pimenta, o azeite e o vinagre.

- Misturar muito bem, de forma a que os sabores perfumem os tentáculos.

- Tinha a ideia de temperar esta salada com coentros, como eu gosto desta erva, mas não tinha em casa.



21 julho, 2017

Sopa de beldroegas - mais uma viagem à infância



Pois é, mais um sabor que me leva até à minha infância.
Foi uma infância feliz e para além dos meus pais, tive sempre a minha avó materna por perto.
Adorava estar com ela!
Para além, de que a minha avó é a melhor cozinheira do mundo.
Sou suspeita, porque como já referi em outros posts, amo-a muito.
As beldroegas sempre foram umas ervas daninhas que apareciam lá pela quinta da minha avó, e continuam a aparecer.
E recordo-me de comer a sopa da avó feita com esta erva, desde a mais tenra idade.
Sempre gostei, também não havia espaço para muitas esquisitices, até porque o que ia para a mesa, era para todos.
Fica deliciosa esta sopa.

Ingredientes:

1 Molho de beldroegas (depois de arranjadas dá 200g)
Azeite
1 Cebola picada
4 Dentes de alho picados
1 Folha de louro
2 Tomates maduros cortados em pedaços
1 C. Chá de orégãos
3 batatas cortadas às rodelas
600 ml de água
2 Queijos curados de vaca e cabra
Ovos
Sal

- Retirar as folhas dos talos das ervas. Lavar muito bem e deixar a escorrer num passador de rede fininha.

- Num tacho largo, introduzir a cebola, os alhos e a folha de louro. Regar com azeite.

- Levar ao lume e deixar a cebola murchar.

- Acrescentar as folhas de beldroegas, e deixá-las amolecer.

- Adicionar o tomate e os orégãos e envolver na mistura.

- Acrescentar as batatas e a água.

- Temperar com sal.

- Quando as batatas estiverem quase cozidas, adicionar o queijo cortado em fatias finas.

- Se acharem que tem pouco caldo, podem acrescentar um pouco mais de água. Rectificando o sal, se necessário.

- Ao verificarem que as batatas estão cozinhadas, basta desligar o lume.

- Os ovos serão para serem escalfados.

- Faço de duas maneiras. Antes de desligar o lume, adiciono os ovos por cima e deixo escalfar. Ou então, coloco taças individuais com água e uma colher de sopa de vinagre e levo ao microondas até ferver. Depois adiciono um ovo por cada taça.

- Esteticamente, acho que ficam melhor, quando são feitos no microondas. Mas é mais prático adicionar tudo no tacho. E os ovos ficam mais saborosos.




20 julho, 2017

Costeletas grelhadas com cebola e cogumelos


Há já algum tempo que faço a ementa semanal.
É um método, ao qual me adaptei muito facilmente e que resulta comigo.
Não preciso de pensar todos os dias o que cozinhar.
No entanto, há dias que tenho escrito uma determinada refeição, mas por falta de tempo ou por outro motivo qualquer, não me é possível fazer essa comida.
Foi o que aconteceu com estas costeletas.
Inicialmente, eram para ser no forno com legumes.
Mas rapidamente, passaram a grelhadas na chapa.
E acrescentei um "molho" de cebola e cogumelos, que resultou na perfeição.
Costumo comprar cogumelos frescos e depois congelo. 
São muito mais saborosos.
Utilizo esta dica (desde que partilhou), da Luísa Alexandra, que dispensa apresentações.
A Luísa explica detalhadamente como se faz. Espreitem.

Ingredientes:

4 Costeletas do cachaço
2 Cebolas médias em meias luas
3 Dentes de alho laminados
200g de cogumelos frescos, mas congelados
Azeite
Sal
Pimenta em moinho
1 Folha de louro
1 C. Sopa de molho inglês
50 ml de cerveja branca c/ álcool
Esparguete

- Cozer a quantidade pretendida de esparguete, seguindo as indicações da embalagem. 

- Num frigideira, colocar um fio de azeite, a cebola, o alho e a folha de louro.

- Quando a cebola murchar, adicionar os cogumelos.

- Temperar de sal e pimenta. Utilizo em moinho. Na minha opinião, as especiarias em moinho, são mais frescas, logo o sabor é mais intenso. Mas se for em pó, será cerca de meia colher de café.

- Deixar os cogumelos cozinhar e adicionar o molho inglês.

- Envolver a mistura e acrescentar a cerveja.

- Deixar a cozinhar em lume brando, cerca de 5 minutos.

- Grelhar as costeletas numa chapa de fogão, temperadas apenas com sal.

- Escorrer o esparguete e servir a gosto.

19 julho, 2017

As ameijoas cá de casa


Mais um petisco, que é muito apreciado cá por casa.
É uma receita bastante simples, faz-se num abrir e fechar de olhos, mas com muito sabor.
Se há algo que gosto de utilizar na comida cá de casa, são as ervas aromáticas.
E os coentros são quase sempre os vencedores.
Têm um perfume maravilhoso e na comida, dá um sabor especial.

Ingredientes:

1 Kg de ameijoa vietnamita congelada
1 Cebola picada
6 Dentes de alho picados
Azeite
1 molho generoso de coentros picados
100 ml de cerveja branca c/ álcool
Sal

- Num tacho, colocar a cebola, o alho e o azeite. Refogar.

- Acrescentar os coentros picados e envolver no refogado. De modo a que estes libertem o seu perfume.

- Adicionar as ameijoas e a cerveja.

- Se quiserem com mais molho, basta acrescentarem mais cerveja. Mas tendo em atenção de que as ameijoas libertam alguma água.

- Temperar com sal.

- Deixar cozinhar em lume médio e ir abanando o tacho de forma a que a cozedura das ameijoas sejam uniformes.

- Desligar a placa.

- Quanto mais tempo ficarem no molho, mais saborosas irão ficar.


Poderão substituir a cerveja por vinho branco, na mesma quantidade. 
Eu prefiro a cerveja, acho que ficam mais saborosas. 
No entanto, cá em casa, gostam das duas formas.
Acho que com vinho, corta mais o sabor dos coentros.





18 julho, 2017

Moelas de frango em molho de tomate



É tempo de tomate, muito felizmente.
Chegam cá a casa bem vermelhinhos, vindos das hortas da família e fico logo com vontade de os cozinhar.
Tenho feito imensas comidas com este ingrediente.
Há que lhe dar uso, nesta altura porque é quando é mais saboroso.
É um alimento que me agrada bastante, à excepção de quando é em compota.
Estas moelas foram cozinhadas, para mais um dos nossos lanches ajantarados.
Fica delicioso e com bastante molhinho, que é o que se quer, porque adoramos molhar o pão no molho.

Ingredientes:

1 Kg de moelas de frango
1 Cebola picada
3 Dentes de alho picados
Azeite
1 Folha de louro
3 Tomates médios maduros
1 C. Sopa de orégãos 
100 ml de vinho branco
Pimenta
Sal

- Colocar a cebola, o alho, a folha de louro e um fio de azeite num tacho e levar ao lume.

- Deixar a cebola ficar murcha e acrescentar o tomate e os orégãos.

- Temperar de sal e pimenta.

- Deixar o tomate cozinhar em lume brando, até libertar algum do seu sumo e ficar ligeiramente mole.

- Acrescentar as moelas e o vinho.

- Envolver todos os ingredientes e deixar a cozinhar no mínimo.

- Quando o tomate está completamente desfeito, as moelas cozidas e o molho espesso, rectificar os temperos.

- Se o tomate que utilizarem, não tiver muito sumo, acrescentem mais vinho.

- Deixar cozinhar mais 5 minutos e desligar a placa.

- Podem servir logo, ou podem deixar apurar mais um pouco.

- Fica delicioso com pão alentejano cozido em forno de lenha, como foi o caso neste dia.

- Também fica delicioso com pão frito e/ou torrado.


17 julho, 2017

Camarões cozidos


Eu gosto imenso cozinhar, mas nesta estação, o Verão, apetece-me menos e há dias, então que não me  apetece mesmo nada.
E quando não me apetece fazê-lo, opto por petiscos e coisas bem simples.
Que cá por casa adoramos e em menos de nada, temos uma refeição de petiscos.
Numa dessas refeições, cozi estes camarões.
Há uns anos atrás, era sempre o meu marido que cozinhava estes senhores.
Mas depois aprendi a fazê-los com uma Senhora com a qual trabalhei, que tem idade para ser minha avó, e o meu marido deixou de os fazer, porque diz sempre, que eu é que sei fazê-los.
Não ficam melhores em termos de sabor, acho que ficam apenas diferentes na dureza da carne do camarão.
Mas como cozer camarões pode ser simples para uns mas parecer complicado para outros...decidi partilhar convosco a forma como o faço.

Ingredientes:

1 Kg de camarão de boa qualidade, calibre 20/30
3 L de água
Sal

- Colocar a água com três mãos cheias de sal numa panela.

- Ligar a placa e deixar ferver.

- Quando estou com mais pressa, aqueço a água no jarro de água e depois coloco na panela, adiciono o sal e deixo ferver, demora menos tempo.

- Quando a água estiver a ferver, junta-se os camarões.

- Deixa-se voltar a água a ferver.

- Num recipiente, adiciona-se mais água de preferência que esteja no frigorífico, mais sal, aqui costumo colocar duas mãos e muitas pedras de gelo e misturar tudo.

- Quando os camarões começarem a ferver, conta-se dois minutos e pode-se desligar a placa, que estão cozinhados.

- Escorrer os camarões imediatamente, para parar a cozedura e adicioná-los à água anteriormente preparada.

- Colocar mais gelo e deixar estar os camarões durante algum tempo, cerca de trinta minutos. 

- Confirmar o sabor da água, se acharem que estão salgados, passem-nos por água corrente da torneira.

- Dispor os camarões num prato e/ou travessa de servir.

- Se anteriormente ao provarem a água e estavam com pouco sal, podem no prato de servir, polvilhar com mais sal.

- Se for para consumir mais tarde, podem colocar no frigorífico.

- Se for para consumir dentro de pouco tempo, coloquem no congelador. Refrescam rapidamente.

Depois é só levá-los à mesa e deliciarem-se...

14 julho, 2017

Arroz de pato à minha maneira


Gosto de arroz de pato, mas não é daqueles pratos que adoro.
Mas os miúdos gostam imenso e é mais por eles que o faço.
Tenho a sorte de poder consumir carne e ovos caseiros, o que torna este prato mais saboroso.
A minha avó ofereceu-me um pato e como não é carne que aprecie muito, resolvi fazer este arroz.

Ingredientes:

1 Pato 
2 Cebola picada
1 Cebola inteira
3 Dentes de alho picados
3 dentes de alho inteiros
Azeite
Bacon aos cubos (150g)
Cravinho em grão
2 Folhas de louro
Sal
Pimenta
100 ml de vinho branco
Arroz vaporizado
2 Ovos M
Rodelas de chouriço

- Numa panela de pressão, coloca-se uma das cebolas picadas, os alhos picados, o bacon, a folha de louro e o azeite.

- Deixar a cebola ficar murcha.

- Colocar o pato cortado em pedaços,

- Espetar os cravinhos na cebola.

- Adicionar os restantes alhos, o vinho e acrescentar água até o pato ficar submerso. 

- Temperar com o sal e a pimenta.

- Fechar com a tampa e introduzir o pipo no seu orifício.

- Quando a panela de pressão começar a apitar, contar 20 min.

- O pato está cozinhado. Se por o vosso ainda não estiver, voltem a colocar mais 10 min..

- Deixar arrefecer o pato, para ser mais fácil desfiá-lo.

- Desfiar o pato.

- Fazer um refogado com a cebola e o azeite.

- Adicionar o arroz (utilizei 300g).

- Deixar refogar um pouco e acrescentar 900g de caldo da cozedura do pato. Se não tiverem, acrescentem água. 

- A meio da cozedura do arroz, acrescentar o pato desfiado.

- Verificar se está a vosso gosto a nível de sal.

- Assim que o arroz esteja cozido, desligar o lume. 

- O objectivo de triplicar a quantidade de água, em vez de duplicar, como é hábito, é mesmo que fique com algum caldo.

- Passar a mistura do arroz com o pato, para um pirex.

- Bater os ovos e com um pincel, espalhar por cima do arroz.

- Colocar o chouriço às rodelas.

- Levar ao forno, pré-aquecido a 180º. Apenas, para tostar por cima.








13 julho, 2017

Azeitonas temperadas


Gosto imenso de azeitonas.
E quando são caseiras, melhor ainda!
Mas para um petisco, gosto de as apresentar de uma forma diferente.
Foi o que aconteceu com estas azeitonas, que hoje vos apresento.
É muito fácil dar uma nova cara, a este ingrediente.


Ingredientes:

Azeitonas (quantidade a gosto)
Coentros picados
Alhos picados
Azeite

- Colocar as azeitonas num recipiente e misturar os coentros, os alhos e temperar com azeite. 
- Envolver tudo e estão prontas.

No entanto, se deixarem mais algum tempo, ficam mais saborosas.

12 julho, 2017

1 Mês deste blog

Hoje faz um mês em que escrevi a minha primeira receita neste blogue.
Não é muito tempo, eu sei.
No entanto, tem-me dado um enorme prazer partilhar convosco as iguarias que vou fazendo cá por casa.
Quero agradecer a cada um de vós, que se mantêm desse lado, que me visitam regularmente e comentam.
Agradeço de uma forma particular à minha família e principalmente ao meu marido, porque desde o inicio acreditou neste projecto e acima de tudo acreditou em mim e me apoiou e apoia incondicionalmente. 
Espero que se mantenham desse lado!

Deixo-vos as três receitas mais vistas:







Mais uma vez, MUITO OBRIGADA!

11 julho, 2017

Sopa de tomate


Assim que oiço ou penso em sopa de tomate, a primeira pessoa que me lembro é da minha avó.
É uma cozinheira de mão cheia!
E uma pessoa muito especial para mim.
Faz sopa de tomate como ninguém e é a minha preferida.
Esta receita é dela mas nunca consegui que ficasse igual.
E leva-me à infância, momentos únicos que vivi com a minha avó.
Foi, é e será sempre o meu porto de abrigo.
Não há palavras para a descrever...
Para esta receita, utilizei tomate da horta dos meus pais.
O que a torna mais saborosa.


Ingredientes:
1 Kg de tomate
1 Cebola
4 Dentes de alho
Azeite
Sal
1 C. Sopa de açúcar (para cortar a acidez do tomate)
1 C. Sopa de Orégãos (Costumo utilizar seco)
1 C. Chá de Manjericão (costumo utilizar seco)
4 Ovos caseiros
Fatias de pão caseiro cortadas aos cubos (quantidade que pretendam)

- Picar a cebola e os dentes de alho.

- Cortar os tomates em pedaços pequenos.

- Levar um tacho ao lume, colocar o azeite, a cebola e os alhos.

- Deixar refogar, até a cebola estar translúcida.

- Adicionar o tomate, o açúcar, os orégãos e o manjericão.

- Envolver toda a mistura e adicionar o sal.

- Reduzir o lume para o mínimo.
(A minha avó costuma dizer que a comida só fica deliciosa se for feita com 2 ingredientes, amor e sempre com os bicos no mínimo.)

- Deixar o tomate libertar toda a água e até se desfazerem com a colher de pau.

- Se os tomates não libertarem muito suco, acrescentar um pouco de água.

- Deixar mais um pouco para apurar.

- Desligar o bico e triturar toda a sopa.

- Levar de novo ao lume e adicionar os ovos por cima da sopa.

- Quando os ovos estiverem cozinhados, desligar o lume.

- No decorrer da confecção da sopa, fritar o pão em óleo bem quente.

- Escorrer sobre papel absorvente.









10 julho, 2017

Pão individual c/ sementes

Ainda não tinha nenhuma receita de pão no blog.
Gosto imenso de fazer pão, mas nem sempre o faço.
Às vezes por preguiça ou porque não tenho mesmo tempo.
Estas bolinhas surgiram numa necessidade de pão.
Tal como o típico português adoro pão. 
Mas dispenso o pão tradicional, o branco.
Estas bolinhas ficam fofinhas durante pelo menos 2 dias, que foi o tempo que duraram na caixa do pão. 
No entanto tive os pãezinhos dentro de um saco de plástico.


Ingredientes:
150g de farinha espelta
75g de farinha de trigo integral
200ml de água
2 C. Sopa de sementes de linhaça moída
80g de sementes (Utilizei de abóbora, girassol e de sésamo)
1/2 C. Chá de flor de sal (da próxima irei pôr mais um pouco)
1 Pacote de fermento de padeiro de 11g
2 C. Sopa de azeite

Utilizei a MFP.

- Misturar todos os ingredientes e seleccionar a opção massa, que amassa e leveda.

- Retirar a massa e dividi-la em 5 partes iguais, mais ou menos.



- Levar ao forno, na função levedar e deixar até terminar o programa.

- Se o vosso não tiver esta opção, basta pré aquecer o forno a 100º e colocar a massa durante 30 min. (com o forno desligado).

- Depois de levedada, podem escolher a opção de cozer pão, ou levar de novo ao forno pré-aquecido a 200º durante cerca de 20 min..




08 julho, 2017

Atualização do blog

Olá! 
Tenho estado a reestruturar o blog. 
De modo a que a visualização do texto das receitas seja mais prático e menos confuso.
Quando começamos, também não foi assim há tanto tempo, temos uma visão dos posts e com o decorrer do tempo, começamos a ter outras ideias.
Espero que gostem e comentem de forma a eu saber a vossa opinião.
Têm sido os comentários, bastante agradáveis e simpáticos, que me têm feito manter deste lado, partilhando o que mais gosto de fazer.

Obrigada por se manterem por ai!

07 julho, 2017

Bolo de curgete e canela




As fotografias não são as melhores, até porque o bolo rachou.
No entanto, o bolo foi tão elogiado que arrisquei a partilhar convosco.
A curgete é um legume bastante versátil.
Serve para a substituição da batata por exemplo, no caldo verde, mas em bolos fica delicioso.
A massa fica leve, húmida e fofa.
Arriscaria a dizer que em termos de legumes, é o meu legume preferido em bolos.
Adicionando canela, dá-lhe um toque especial.
Utilizei a Yammi 2, porque agiliza o processo.

Ingredientes:

200 g de curgete s/ casca
200 g de farinha 55
150 g de açúcar
1 Ovo
100 ml de leite magro
1 C. café de flor de sal
1 C. café de bicarbonato de sódio
1/2 C. café de fermento em pó p/ bolos
1 C. Chá de canela
1 C. Chá de sementes de papoila
1 C. Chá de raspa de limão desidratado (Utilizei da marca Espiga)
1 C. Chá de raspa de laranja desidratada (Utilizei da marca Espiga)

- Ligar o forno a 180º.

- Untar com manteiga s/ sal e polvilhar com farinha, a forma pretendida.

- No copo da Yammi, colocar a curgete e pressionar o botão triturar por 2 vezes.

- Adicionar o açúcar, seleccionando 2 min., vel. 3.

- Juntar o óleo e o ovo, durante 1 min., na mesma velocidade. 

- Incorporar a farinha, a canela e a flor de sal. Misturar durante mais 2 min. na vel. 3.

- Inserir o bicarbonato, o fermento em pó, a raspa de laranja e a raspa do limão.

- Seleccionar 1 min. na vel. 3.

- Colocar a massa na forma e levar ao forno 45 min. 

- Ou fazer o teste do palito e este sair limpo.
Deixar arrefecer e desenformar.
(Foi aqui que rachou, não o deixei arrefecer).






06 julho, 2017

Cestinhos de massa folhada de frango c/ arroz de ervilhas e cenoura


Já há algum tempo que faço cubos de frango desta forma.
Mas por vezes, gosto de dar uma nova roupagem à comida.
E foi o que aconteceu com estes cestinhos, havia umas placas quadradas de massa folhada no frigorífico a pedirem para serem consumidas.
Tinha peitos de frango, cortados e temperados.
Juntei os dois ingredientes e saíram estes cestinhos deliciosos, que até puderam servir sozinhos, com uma salada.

Ingredientes p/ os cestinhos:

700 g de peito de frango s/ osso aos cubos
Sal
1 C. Sopa de Alho moído
1 C. Sopa de orégãos
1 C. café de louro moído
Azeite
1 Cebola pequena
1 Dente de alho
2 C. Sopa de mostarda
6 C. Sopa de leite magro
1 Pacote de natas levíssima da Parmalat
6 Quadrados de massa folhada
1 Ovo M
Sementes de sésamo

- Temperar os cubos de frango com o alho moído, os orégãos, o louro moído e o sal.
Eu temperei na véspera.

- Levar uma frigideira ao lume com o azeite, a cebola e o alho.
- Deixar refogar.

- Acrescentar o frango e o suco que se formou no recipiente, onde se temperaram os cubos de frango.

- Dourar o frango, mexendo de vez em quando.

- Acrescentar o leite, a mostarda e as natas.

- Quando o molho engrossar, desligar o lume.
Se o molho estiver muito espesso, acrescentem mais um pouco de leite.
Se estiver muito liquido, podem acrescentar um pouco de farinha.

- Distribuir as placas num tabuleiro e colocar o frango por cima, cerca de 2 c. sopa e um pouco de molho.


- Fechar os embrulhos a gosto.


- Pincelar com 1 ovo M batido.

- E polvilhar com sementes de sésamo.


- Levar ao forno pré-aquecido a 180º. Cerca de 20 min..


Ingredientes p/ o arroz:

Azeite
1 Cebola média
2 Dentes de alho
1 Cenoura cortada aos cubos
150 g de ervilhas
300 g de arroz carolino
700 g de água
Sal

- Num tacho colocar o azeite, a cebola e o dente de alho.

- Quando a cebola estiver murcha, acrescentar a cenoura e as ervilhas.

- Deixar refogar um pouco os legumes.

- Acrescentar o arroz e envolver.

- Acrescentar a água e ir mexendo até ficar cozido.










05 julho, 2017

Tarte salgada de atum, milho e alho francês




Este tipo de tartes, são óptimas para várias coisas.
Para aproveitar "aqueles" restinhos que andam no frigorífico e/ou no congelador.
E acompanhada com uma sopa ou uma salada, serve, na minha opinião, para uma refeição.
Também são boas, para um lanche ajantarado, onde há vários petiscos.
Tão tradicional cá por casa ao fim de semana.

Ingredientes:

1 placa de massa folhada rectangular
1 Cebola
2 Dentes de alho
Azeite
2 Latas pequenas de atum em água
1 Alho francês, apenas a parte branca
1 Lata de milho pequena
1 Iogurte Natural
2 Ovos
Sementes de sésamo

- Forrar a tarteira, de fundo amovível, com a massa. 

- Picá-la com um grafo, colocar papel vegetal por cima e pôr pesos (grão ou feijão cru, por exemplo) por cima.

- Este processo, faz com que a massa coza mas não enfole. 
Mantendo assim, o formato da tarteira.

- Levar ao forno, pré-aquecido a 180º, durante 10 min., apenas para dourar a massa.

- Enquanto a massa está no forno, preparar o recheio.

- Levar uma frigideira ao lume e colocar a cebola picada, tal como os alhos e um pouco de azeite.

- Deixar refogar. 

- Quando a cebola estiver translucida , acrescentar o alho francês e deixar cozinhar.

- Por último, adicionar o milho, o atum e temperar com sal.

- Envolver bem a mistura.

- Retirar do forno, a base e colocar o recheio.

- À parte, bater o iogurte com os ovos e temperar de sal e pimenta.

- Distribuir por cima da tarte.

- Polvilhar com as sementes de sésamo.

- Levar ao forno, na mesma temperatura, 180º, durante 35 min.

- O recheio deve estar firme.

- Podem desenformar ou deixar arrefecer, antes de desenformar.




04 julho, 2017

Pães c/ chouriço diferentes



Estes pães com chouriço surgiram de um improviso.
Estavam cá em casa os dois filhos de uma amiga e precisava de um salgado para o lanche.
Assim que chegaram, perguntei-lhes o que lhes apetecia sem ser doces e eles e a minha filha pediram pão com chouriço.
Lá fui eu para a cozinha e preparei-lhe o que queriam mas de uma forma diferente.
Foram um sucesso!
Principalmente, o que eles chamaram de chupa-chupa de chouriço.
Os queques, não correram tão bem, mas é a errar que aprendemos.
Como utilizei formas de papel, a massa colou-se ao papel e tive que o retirar com uma faca e perderam um pouco o efeito.
Irei testar uma próxima vez, mas com formas de silicone.
Por isso, se reproduzirem a receita, não o façam com formas de papel.

Ingredientes:
(Chávena de 200 ml / Rendeu 4 Chupas e 5 Queques)

2 + 1/2 Chávenas de farinha 65
1 C. Chá de fermento p/ bolos
1 Chávena de leite magro
2 C. Sopa de manteiga s/ sal
1 C. café de flor de sal
Chourição espanhol

- Utilizei a MFP (máquina de fazer pão) para amassar e levedar.

- Introduzi o leite, a manteiga, a flor de sal, a farinha e por último o fermento.

- Seleccionei o programa massa, o que demorou 1h30m.


- Terminado o programa, estiquei a massa, na bancada polvilhada previamente com farinha 65. Como se fosse para uma piza.


-Cortei em tiras, e distribui o chourição.


- Enrolei a massa, no sentido do comprimento.

- E nos chupas-chupas, coloquei um pau de cake pop em cada um.



- Levei ao forno, escolhi a opção levedar.

- Se o vosso forno, não tiver esta opção, não tem problema.

- Podem pré-aquecer o forno a 100º e quando colocarem a massa dentro do forno, desligam.

- Depois de ter duplicado o tamanho, ligar o forno na opção de cozer pão.

- Poderão também fazê-lo a 180º durante 30m a 40m.